Página Inicial > Entrevista > Entrevista: Marcus Vinicius e Rodrigo Almeida

Entrevista: Marcus Vinicius e Rodrigo Almeida

No dia do evento do Guob, tive o prazer de realizar uma entrevista com dois Oracle ACE do Brasil, Marcus Vinicius e Rodrigo Almeida, dois exemplos de humildade e grande domínio da Tecnologia Oracle. Foi um papo divertido e ao mesmo tempo profissional. Leia a entrevista abaixo, também estou disponibilizando o áudio, aconselho a escutar porque ficou mais dinamico e de fácil compreensão, baixe o áudio, clicando aqui.


Para começar, gostaria que vocês se apresentassem, falasse um pouco de vocês:

Rodrigo Almeida: Sou Oracle ACE, tenho certificações Oracle, trabalho atualmente na CDS, sou agora, como diz Arup Nanda, DMA (Database Machine Administrator), trabalho com Exadata e nas horas vagas além de trabalhar com Oracle, gosto de viajar, andar de patins, gosto de apreciar algumas cervejas artesanais, compro em alguns empórios para tomar com amigos em casa. Minha rotina é mais ou menos essa: gosto de ir para praia para surfar, isso quando dá, estou gordinho – Vinicius: a prancha tem que ser tamanho extra – Não, tem que ser um barco mesmo. Quando estou em casa estudo Oracle, meu trabalho já é um hobby, gosto do que faço.

Marcus Vinicius: Sou DBA Oracle, sou Oracle ACE, tenho algumas certificações Oracle, nas minhas horas vagas gosto de ir ao teatro, cinema, gosto de shows de música, sou eclético, gosto de sair para comer, dá para perceber pela barriga (Rodrigo confirmou com um éééé). Gosto de viajar, apesar de não tenho muito tempo para isso, conhecer outros lugares, outras culturas, mesmo dentro do Brasil é possível conhecer outras culturas. O meu trabalho é um hobby, então nas horas vagas também estudo e também acho que não seja algo de trabalho e sim um hobby. Estou ausente, mais gosto de dedicar ao blog, que criei um pouco mais de um ano e meio. Sair com a minha esposa, aproveitar o que a cidade de São Paulo tem a oferecer.

Conte-nos um pouco sobre suas trajetórias profissionais, como fizeram para alcançar esta posição.


Marcus Vinicius: Comecei a trabalhar na área de TI com 15 anos de idade, na verdade não foi TI puro, foi uma escola de informática, dali fui para um hospital no interior de São Paulo e na época o hospital estava sendo informatizado e eu fui a pessoa responsável por tomar conta do projeto de TI, na verdade o hospital era uma Santa Casa e tinha duas pessoas de TI e eu na época era o gerente de TI do hospital ou na época gerente de CPD. A escola que dava aula, estava capacitando os profissionais desse hospital, para “enfrentar” a informatização que sofreriam naquele tempo e aí eles gostaram do meu perfil e acabaram me contratando na época. Fiquei cinco anos nesse hospital, nesse período fazia faculdade de ciências da computação e também aos sábados dava aula no SENAC, para certificação Linux, a distribuição na época era Conectiva, já fui certificado Conectiva. Saí da minha cidade, fui para Campinas para iniciar um mestrado que era um grande sonho da minha vida, fiquei dois anos e durante este período acabei trancado o mestrado, acabou acontecendo algumas coisas, enfim, não consegui concluir e fui para São Paulo. Meu perfil técnico na minha cidade era um perfil bom na minha cidade e aqui em São Paulo era muito fraco, o mercado de São Paulo era muito diferente de onde eu estava vindo. Aqui você precisa ser altamente capacitado para poder de fato trabalhar tecnicamente nos lugares. Então vi que não estava tão preparado para entrar no nível técnico aqui em São Paulo, entrei em uma empresa na época e decidi fazer algumas certificações, optei em fazer a certificação em Oracle, durante o curso da certificação, tinha como meta terminar o curso e ser um OCP ou então logo depois, eu sabia que com isso, teria possibilidades para se tornar um DBA, porque não tinha experiência como um DBA Oracle. Na época, uma das grandes inspirações e que me ajudou muito foi o Rodrigo Almeida, que tinha um blog no iMaster e respondia o pessoal, também tomava conta do fórum e eu sempre tirava dúvidas com ele. Acabou o curso, consegui me tornar um OCP e fui trabalhar em uma empresa, no Mcdonalds como DBA, fiquei seis meses e fui para a Discover, isso já faz quase seis anos e dentro da Discover tive oportunidade de trabalhar em diversas empresas e consegui crescer, através de bastante estudo, evolui tecnicamente e profissionalmente. Estando na Discover tive a oportunidade de trabalhar com o Rodrigo em outro cliente, e até então ele não trabalhava na Discover, trabalhava em outra empresa e depois disso tive o prazer de ter o Rodrigo como coleta de trabalho na Discover e nesse momento que era coleguismo, virou amizade, de sair juntos com as famílias, enfim aproveitar o tempo fora do trabalho. O Rodrigo sempre foi uma referência pra mim, como DBA, me espelhei muito nele, nos exemplos que ele me dava, na pessoa que ele costuma ser, na humildade que ele tem em ajudar todo mundo, para que eu pudesse um dia, me tornar um grande DBA, ainda estou correndo atrás disso.

Rodrigo Almeida: A minha história é de nerd convencional não tem jeito, comecei a estudar Oracle com 14 anos, de um livro que eu ganhei do meu tio, que era engenheiro da IBM, ele falou: Toma este livro e estuda se você aprender é possível que você se de bem, era em meados de 97 para 98, um livro inglês. Eu com 14 anos não sabia falar inglês, dicionário, livro, input de dados no computador, demorei dois meses para acessar o SQL Plus, para dar um connect target, foram dois meses para logar no banco, gostava de desafios, fui estudando, lendo, na época não tinha Google, na época tinha o cadê e Altavista. Artigos de Oracle era pouquíssimos, era muito pouco e o que você achava era em inglês e você não tinha muito o domínio da língua, era meio que aramaico, você pegava e pensava, o que esta acontecendo ali dentro. Até hoje eu falo: não sei nem 10% de Oracle, então estudo um pouquinho de Oracle a cada dia, para tentar aprender alguma coisa e com 17 anos entrei no mercado. Então dos 14 aos 17 anos tive minha infância convencional, muitos falam que eu não tive infância, que fui criado na frente do computador, mais eu saia para a rua, jogava bola, saia para balada, tudo mais e com 17 entrei em uma migração, na época estava entrando o ano 2000 e todo mundo falava do BUG do milênio, o medo de todo mundo era as datas virarem 1900, peguei um projeto, entrei como DBA pleno, porque na época que comecei como DBA, não era como é hoje, que você precisa de muito mais requisitos para entrar como DBA. Antigamente era assim: Você conhece Oracle, consegue fazer select, insert, sabe instalar um Oracle, então venha trabalhar, pois estamos precisamos de alguém urgente. Então era muito mais fácil, faltava DBA na época, foi quando consegui entrar no mercado com 17 anos, participei de grandes projetos logo no início, daí para frente, foi só como DBA. Eu falo sempre, muitos vieram de desenvolvimento, administrador de rede que viraram DBA, eu sou um cara que nasci com o banco, estudei banco e vou morrer com o banco, porque se vier outra coisa vou morrer de fome. Vivendo de projetos, faculdades, trabalho, comecei a ganhar dinheiro e vi que era legal, é uma coisa que eu gosto e que da dinheiro, então me aprofundei, fui para cima. Parei em 2003 e fiquei um ano fora do mercado, fui fazer uma especificação fora do Brasil e não tinha como estudar Oracle, retornei, voltei como DBA Oracle e desde 2003 não tiro férias.

Marcus Vinicius: Esqueci de comentar, desde o começo do ano ministro aulas na Veris IBTA e o Rodrigo teve uma grande influência sobre isso.

Rodrigo Almeida: O Vini é o nosso melhor DBA do mundo.

Quais são as dicas para começar a ser DBA.


Rodrigo Almeida: Para começar você precisa ter uma perfil bom, tem muita gente no mercado que eu pego, principalmente leitor meu, que quer entrar no mercado Oracle porque da dinheiro, se você for com este pensamento, tua carreira é curta e com certeza sua carreira não será sucedida, isso é o que eu falo com os meus alunos, não vai pensando só no dinheiro, quanto mais quando você não gosta do que esta fazendo, vai ficar noites acordadas, vai ficar frustrado, não vai conseguir emprego, vai ficar batendo a cabeça e vai acabar desistindo da área. Perfil de DBA na minha época e a de hoje é a de hoje, não tem diferença, tem que gostar de estudar.

Marcus Vinicius: A dica é a seguinte, é interessante um curso, segundo ponto , quem não conhece muito bem infraestrutura, também interessante curso, acho que de repente um curso de Linux, com este conhecimento de linux, o curso de banco de dados irá caminhar bem. A grande maioria dos clientes que tem banco instalado é Linux ou algum tipo de Unix, não é tão grande o uso do Windows, como servidor de banco de dados. Acho que o grande X da questão são os cursos que vão capacitar a pessoa, mais nunca vai esta pronto para entrar no mercado de trabalho, acho que depois do curso vai entrar a parte dela, que é de estudo, tem que estudar de mais, tem que ter objetivo, se você não tiver foco e meta, vai ser difícil de conseguir se manter no mercado é uma área que se atualiza muito rápido. Um cara que é OCP do 10g, já deve esta pensando em fazer a do 11g, porque daqui 2 a 3 anos no máximo, vai esta pipocando a do 12g, ela tem que gostar muito de estudar e mesmo gostando, ele tem que se dedicar muito o estudo, a pessoa nunca vai saber de tudo, porque tem muita coisa para saber e que se estudar muito, podemos aprender o básico, para trabalhar durante o dia-a-dia, acho que o grande ponto é gostar e estudar bastante, se você não gostar não tem jeito.

Rodrigo Almeida: Fazer curso, certificação, acho que isso é da carreira, isso não é para quem é iniciante, é para quem é sênior que sempre precisa esta se atualizando. Quem esta começando, fazer um curso oficial Oracle, para conseguir tirar uma OCP. Certificação é bom? certificação mede o profissional. Certificação ajuda na hora do pré-requisito de vaga de RH, quando você vai para uma entrevista, o pré-requisito é ter uma certificação OCP 10g se não concorre. Você tem que ter alguns cursos do Oracle, para saber como é a ferramenta, aprender muito o conceito, o conceito é fundamental, emprega os conceitos no dia-a-dia e depois se joga no mercado.

Marcus Vinicius: Acho assim, que temos que mudar a filosofia das pessoas de que a certificação, é só para oportunidade de emprego, se pararmos para pensar, é a forma da empresa saber que a pessoa conhece a ferramenta, só que infelizmente as pessoas que estudam para certificação, encontram dump na internet e decora as perguntas e as respostas, mais se a pessoa tiver que participar de uma reunião técnica, para debater algum assunto, ela não vai conseguir debater porque ela não tem o conceito, porque quando você estuda de fato e estuda para certificação, você aprende o conceito, você não pode saber na prática, mais o conceito você tem e para você debater em reuniões técnicas você precisa do conceito e assim você não fala besteira, quem tem certificação por decoreba, não consegue debater , por conta de decorar as perguntas e respostas.

Hoje vocês são Oracle ACE, quais foram os passos para ter este reconhecimento da Oracle.

Rodrigo Almeida: O programa de ACE reconhece os profissionais que ajudam a comunidade, não é uma certificação, é uma maneira que a Oracle reconhece que você esta contribuindo para a comunidade, evangelizando, divulgando os produtos da Oracle. Principalmente a gente que tem um hobby de escrever blog, artigos e tudo mais, a tendência é ajudar as pessoas; tive um problema em produção e para resolver o problema fiz isto, nada mais simples do que escrever um artigo, não precisa ter um português perfeito, tanto que nos meus artigos tem um monte de erro de português, nunca fui bem em português, mais escrevia e compartilhava com o pessoal, quem tiver com esse problema, segue essa receita pra resolver. Isso com o passar dos anos a tecnologia da Oracle explodiu e agora esta com essa tamanho todo e agora ela começou a olhar para os profissionais que colaboram que tinha blog, que escrevia artigo, que ajudava no fórum, que tinha certificação, que tinha reconhecimento na comunidade local, aí a Oracle inventou um programa Oracle ACE e a partir desse programa resolveram nomear os Oracle ACE que são esses que evangelizam novas pessoas que levam tecnologia para todas as pessoas e foi uma forma de reconhecer.

Marcus Vinicius: Eu sempre falo que o Rodrigo sempre foi ACE, que ele contribui para comunidade, eu sou DBA há seis anos, o Rodrigo já tinha o blog antes no iMaster, então ele sempre foi ACE. Sempre contribui para comunidade, quando decidi criar o blog, eu pensei sim, em um dia ser Oracle ACE, eu não posso demagogo. Comecei a minha carreira de TI dando aula e quando você da aula, aprende muito mais do que você ensina, quando você compartilha, você aprende muito mais de quando você passa. Como eu vim dessa área de dar aula, eu sempre tive vontade de criar um blog, mais nunca tive tempo para isso, aí eu comecei a me dedicar como se fosse um trabalho mesmo que eu preciso fazer, porque sei que algo vai valer a pena. Então hoje é muito legal eu me corresponder com pessoas do Brasil inteiro, tirando dúvidas comigo, conversar, bater um papo, algumas pessoas até acabaram de entrar no meu circulo de amizade, então é gratificante o fato de ajudar as pessoas, porque quando você esta começando, você sempre vai buscar a ajuda de alguém. Depois que você evolui você não busca mais ajuda de ninguém, acho legal você ajudar as pessoas que estão começando. Então esse é o meu objetivo no blog, então o Oracle ACE, acabou virando uma consequência desse meu trabalho.

Rodrigo Almeida: Tem bastante Oracle ACE espalhado pelo Brasil, que não foi reconhecido o Eduardo Legatti que mantem um blog há muito tempo, só que por enquanto ainda não foi reconhecido. A gente tem muito Oracle ACE, que faz blog no GPO, mais não tem chanceler da Oracle. Mais que esse é o principal foco, compartilhar informação.

Existe alguma dificuldade para se tornar um bom DBA?

Rodrigo Almeida: Hoje em dia tem, quando o gerente pede uma vaga para o RH, o RH não sabe descrever essa a vaga é normal hoje em dia você vê uma vaga de DBA Junior, que pede conhecimento RAC, inglês fluente, espanhol desejável e OCP e conhecer Dataguard, você não vai pedir isso para um júnior, em muitas entrevistas o pessoal já vai com este requisito. O cara para entrar na empresa, precisa ter este conhecimento como júnior isto dificuldade a vaga. Eles vão pedir requisito, você precisa ter um curso, o curso é caro não é barato e isto vai dificultando a entrada das pessoas no mercado. Uma outra coisa que as empresas faziam era contratar pessoas despreparadas do mercado e já jogavam na fogueira, no ambiente produtivo. Isso foi criando circulo interno corporativo, que foi selecionar melhor as pessoas, só que ao invés de selecionar melhor o sênior, estão selecionando mais o júnior, e para quem esta começando e não tem experiência, vai aprender como? É importante ter um tutor para te mostrar o ambiente. Por isso que falo que hoje realmente esta muito mais difícil entrar no mercado de DBA do que há dez anos atrás.

Marcus Vinicius: Começa por causa do curso, porque nem todo mundo esta disposto a pagar um curso, que é um custo, mais que na verdade não é um custo e sim um investimento se você tiver foco e meta é um curso rápido. Acredito que o mercado esta muito competitivo, as pessoas que não tem experiência em banco, fazem o curso e achar que já vão sair empregado como DBA e não é. Se a pessoa não tem experiência ela pelo menos tem que comprovar que esta no ponto, através da certificação e eu conheço pessoas que fizeram o curso e não fizeram a prova de certificação que falaram que é difícil então falta aquilo do tentar, se você não tentar você não vai saber se vai conseguir ou não. Falta ousadia mesmo da pessoa de falar: eu vou tentar e vamos ver o que vai acontecer. Se você não tentar, não tem como saber e isso não é só para o banco e sim para a vida, o problema é você ficar com a dúvida, ah e se eu tivesse tentando.

Para quem não sabe, Rodrigo e o Vinicius são amigos, gostaria que falassem como vocês se conheceram. Foi amor a primeira vista rsrsrs?

Marcus Vinicius: Foi e é um grande exemplo para mim, na verdade a gente acabou ficando amigo, depois que ele entrou na Discover e a gente estreitou mais o laços de amizades. Quando viajamos juntos para realizar uma prova beta – e foi essa prova que reconheceu a Discover como primeira parceira especializada no 11g no Brasil – hoje existe mais e graças a essa prova, fomos participar de um evento nos Estados Unidos no ano passado, para parceiros especializados e consultores. Ficamos uma semana e foi legal porque já éramos amigos e tinhas amigos incomuns, já saímos em família, essa viajem ajudou mais ainda o nosso laço de amizade. Porque querendo ou não, ficar junto com a pessoa no mesmo quarto, você tem que saber respeitar e suportar um pouco a pessoa.

Rodrigo Almeida: Colocamos açúcar no amor.

Marcus Vinicius: Conheci ele no blog e depois visitando um cliente, ele trabalhava nessa empresa e me apresentei, falava que era o cara que envia e-mail pra ele, há tantos anos atrás e depois na Discover começamos a fazer happy-hour juntos, sair com a família, tínhamos amigos incomuns e acabamos fazendo amizade.

Como vocês se vêem no futuro.

Rodrigo Almeida: Eu tenho alguns planos, mais não sou muito bom em seguir planejamento, mais eu tento. O problema é que no mundo de DBA as coisas mudam muito rápido, então o que você esta planejamento daqui a um ano, você tem que encurtar para seis meses ou menos, para concluir. Mais futuramente tenho alguns objetivos acadêmicos, acabar o mestrado, fazer doutorado, ir para uma área de pesquisa, escrever um livro.

Marcus Vinicius: Pretendamos.

Rodrigo Almeida: Academicamente acabar um doutorado e um Ph. D. são os principais focos que tenho, preciso terminar antes dos quarenta, tenho que terminar tudo, para que nos quarenta e cinco já esteja lavando a mão e nos cinquenta esta aposentado rsrsrs. A curto prazo, dois a três anos, tirar mais certificação Oracle, ter uma coleção de certificações da OCS e dos parceiros da Oracle. Tem algumas certificações que só tem lá fora, que não tem no Brasil e eu pretendo trazer para o Brasi, tirando esses objetivos, pretendo também abrir um pouco o mercado brasileiro lá fora. Hoje nos conhecemos os gurus lá de fora, mais nós brasileiros temos Gurus e precisamos levar pra lá também. Mostrar que o Brasil também é uma potência de Oracle e podemos falar de igual pra igual.

Marcus Vinicius: Assim como os Gurus vem palestrar aqui, nós podemos também palestrar lá fora.

Rodrigo Almeida: E mostrar que nós aqui, também somos um potência Oracle e que temos um work force para trabalhar lá fora também.

Marcus Vinicius: eu quero continuar dando aula e algo que eu gosto e sempre fiz, pretendo continuar com o blog, pretendo evoluir mais ainda tecnicamente, desde quando comecei a estudar Oracle, coloquei há uns anos atrás que quero me tornar OCM, espero que no máximo em dois anos, faço essa prova, sei que devo esta muito bem preparado para esta prova e acredito que dois anos esteja apto a fazer a prova. Quero continuar contribuindo a comunidade, com o blog e no conselheiro do GUOB.

Agradeço a oportunidade que vocês me deram de entrevistar, ceder o tempo de vocês e espero que vocês continuem compartilhando com a comunidade.


Marcus Vinicius
: Agradeço a oportunidade que você deu para falar, é muito gratificante você receber um e-mail ou um comentário no seu blog e dizer que aprendeu com você. Uma vez recebi um e-mail de um cara, falando: achei que o RAC era um monstro e você conseguiu desmitificar isso no seu blog. Tenho certeza que se você compartilhar alguma coisa, vou aprender e você também aprende, é uma via de duas mãos.

Rodrigo Almeida: também tenho as mesmas considerações que a do Vini e agradeço este espaço cedido, deixar a gente falar um pouco da carreira Oracle e que quando eles olharem para nossas fotos e comentarem que esses nasceram nerds e que até hoje são nerds. Mostrar que nós também temos uma vida normal. Agradeço ao pessoal que acessa o meu blog, a vida de DBA não é fácil, você fica com a hora contada, vira a noite, e infelizmente demoro para responder os e-mails, mais eu respondo todos, isso é um objetivo que tenho, agradeço a todos os acessos, espaços abertos, compartilhamento de informação, sigo aquele velho ditado: quem não compartilha, não multiplica. O pouco que eu sei eu compartilho com o pessoal.

E por fim, uma foto com os gurus Oracle do Brasil!!!

Rodrigo Almeida, eu e Marcus Vinicius.

Tags:
  1. 19, agosto, 2011 em 07:12 | #1

    Fala, William!

    Cara, sensacional! Que veia jornalística, hein? Excelente idéia, ficou muito bom, muito legal sua entrevista com essa dupla de peso (sem malícia).

    Parabéns cara! Recomendo que o pessoal escute o áudio, ficamos muito mais próximos com ouvintes da entrevista.

    E, mais uma vez, valeu Vinicius e Rodrigo por permitirem tal abordagem, usando o espaço que, se não estou errado, era o descanso pós-almoço durante o GUOB 2011.

    Depois eu falo que saio inspirado desses lugares e nego não entende o porquê!

    Ficou muito bacana! Congrats!

  2. 19, agosto, 2011 em 14:48 | #2

    William,

    Muito obrigado pela oportunidade de conversarmos! Foi realmente muito bom! Parabéns pela iniciativa!

    Paulo, que isso cara! Todos nós saímos inspirados destes lugares…

    Abração à vocês!

  3. 20, agosto, 2011 em 23:21 | #3

    William,

    Ficou muito bom, fico honrado de ter participado com vocês dessa entrevista. O legal é poder compartilhar isso com a comunidade e com quem está começando na área. Parabéns pela iniciativa e esperamos que novas entrevistas com outros profissionais esteja disponível em breve.

    Paulo (vulgo Pedro – PHP hehehe),

    A turminha é de peso mesmo, eu com 102KG e o VINI com 133 KG, a diferença é que tenho 1,90 m e o nosso melhor DBA do mundo tem 1,66 m. =D

    Vini,

    Nós te amamos! E em breve não usarei um barco para ir a praia. =D

    Abraços a todos,
    Rodrigo Almeida

  4. 20, agosto, 2011 em 23:24 | #4

    Rodrigo,

    133kg o caramba!

    Se você pesa 102kg realmente, lamento te informar, mas sou mais magro que você! Hahahahaha

    Abraços

    Vinicius

  5. Marcelo Procksch
    21, agosto, 2011 em 11:15 | #5

    Excelente entrevistas, certamente esses dois são gurus de Oracle no Brasil.

    Dia após dia aprendo com eles.

    Forte Abraço

  6. 21, agosto, 2011 em 16:25 | #6

    Olá William,

    Parabéns pela entrevista e parabéns também aos entrevistados. Impressionante a riqueza do conteúdo e de detalhes desses dois, hein?? Fica aqui o meu agradecimento ao Rodrigo Almeida e ao Marcus Vinicius. Sucesso pra vocês!!

    Abraços

    Legatti

  7. Saul
    21, agosto, 2011 em 16:40 | #7

    William, ficou muito bom parabéns pela iniciativa, e agradecer também ao Rodrigo e o Vinicius, esses caras são feras.

  8. Heverton Parpinelli
    22, agosto, 2011 em 17:08 | #8

    Parabéns pela entrevista!

    Em tempo, ter como hobby andar de patins foi sensacional… fico imaginando o Rodrigo Almeida trabalhando de patinador no Carrefour. Ou de vestidinho como garçonete daquelas lanchonetes americanas dos anos 60.

    Quanto ao Vini, se não fosse meu amigo, praticaria o Bullying contigo.

    Abs,
    Verton

  9. 23, agosto, 2011 em 11:31 | #9

    Olha, eu tb ando de patins! Será q estou no caminho certo, rsrs!

    Brincadeiras à parte, ficou muito legal a entrevista, principalmente a parte de formação aos iniciantes: Creio que seja melhor fazer um curso de Linux/Unix, conhecer mais de infra no começo da carreira, do que ficar decorando simulados, passar com score de 100% nas provas de certificação e não saber criar uma instância… eu acredito que as certificações tem que vir junto com a experiência.

    Um abraço,
    Lílian Barroso

  10. Heverton Parpinelli
    23, agosto, 2011 em 17:39 | #10

    Lilian, sim, definitivamente você está no caminho certo! O Rodrigo Almeida é que desviou-se do caminho, rsrs!

    Bom, brincadeiras a parte tbm, mais uma vez parabéns pela entrevista com essas duas feras do Oracle. Tive o prazer de trabalhar com ambos e aprender muito. São profissionais e pessoas fantásticas!!!

    Abração desse fã,
    Verton

  11. Otávio Luiz Domingos
    24, agosto, 2011 em 09:13 | #11

    Parabens Willian pela matéria, estou acompanhando todos os seus post ficou muito bom.
    Queria deixar aqui também um grande abraço aos nossos Gurus Oracle do Brasil e dizer que eu tenho uma grande admiração pelo meu amigo Marcus Vinicius que também é da minha terra natal Votuporanga-SP. Parabens Vinicius estou me espelhando em vcs para um dia ser tambem um DBA Oracle.. E vamos para os Estudos…. abraços galera.

  12. 24, agosto, 2011 em 11:18 | #12

    Parabéns prá vocês. Um exemplo de dedicação em que podemos nos espelhar.

  13. 24, agosto, 2011 em 12:25 | #13

    Bom,

    Agora a lista de agradecimentos é grande!

    Marcelo, obrigado pelas palavras!

    Legatti, deixa de ser fanfarrão, você e o Rodrigo Almeida sempre foram a minha inspiração! Você é o ACE que citei na entrevista que ainda não tem o título, mas é ACE!

    Saul, obrigado pelas palavras, cara!

    Heverton, hahaha, imagina o Rodrigo de patins? Tem que ter rodas daquelas empilhadeiras para aguentar o peso! Brincadeiras à parte, o que todos aqui devem saber é que o Heverton foi um dos grandes responsáveis pela carreira de DBA. Ele e o Leandro foram os grandes responsáveis pela minha ida para a Discover! Obrigado mais uma vez mano!

    Lillian, já tentei andar de patins, mas desisti! Tenho medo! Hahahaha! Pois é, eu não tive grandes dificuldades pois já vim do mundo de infra, mas a dica que dou para quem não conhece infra, é que deve-se aprender um pouco antes! E você já é uma excelente DBA!

    Fala Tavinho, que isso cara! Agradeço às palavras mas todos estamos crescendo e estudando!

    Ronie, valeu cara! Obrigado mesmo!

    Pessoal, sem essa de Gurus, OK? Gurus Oracle eu conheço três no Brasil: Rodrigo Almeida, Eduardo Legatti e Chiappa.

    Abraços

    Vinicius

  14. Jeff_Programador
    24, agosto, 2011 em 13:11 | #14

    Estou fazendo uma recomendação da entrevista para o seu site no meu blog http://jeff-designer.blogspot.com .
    Parabéns!!
    Ficamos sempre felizes quando o assunto é Oracle.

  15. 30, agosto, 2011 em 20:00 | #15

    Olá William!

    Um pouco atrasado para o comentário, mas estamos ai, está bem corrido as coisas…

    Muito boa ideia fazer a entrevista! O áudio ficou muito bom, são 14 minutos e 31 segundos que valem a pena…

    Acompanho o blog do Rodrigo Almeida e do Marcus Vinicius, e realmente eles são exemplos a serem seguidos!

    Bom, como estou começando minha carreira de DBA agora, acho que estou indo bem, segui sem saber a dica do Marcus Vinicius sobre aprender Linux…

    Att,

    Sakamoto

    MyTraceLog – Registro de um DBA
    http://mytracelog.blogspot.com

  16. 30, agosto, 2011 em 21:23 | #16

    Agradeço o comentários de todos, foi um prazer realizar a entrevista com esses dois gurus, são dois caras que se você precisar, eles vão te ajuda, realmente são pessoas humildes e inteligentes!!

    Pretendo realizar mais entrevistas, mais no momento, estou envolvido em algns projetos que estão consumindo todo o meu tempo.

    Um abraço!!!

  17. 4, setembro, 2011 em 23:47 | #17

    William, desculpa a demora, mas ta forte a correria, parabens pelo post, pela entrevista, e olha que os comentários dão quase outro post.
    Eu conheci ambos no mesmo evento, a humildade dessas figuras é algo fora do comum, digo também que segue a humildade de outro ACE o Portilho, com quem tive contato em um treinamento e por isso apareci no GUOB.
    Quem sabe na proxima tu nao entrevista os caras de fora, seria interessante, #ficaadica!
    Abraços e felicidades.
    capin

  18. Douglas Ortiz
    2, dezembro, 2011 em 12:45 | #18

    Parabens pela entrevista.
    Sou aluno do Vini no IBTA. A aula do cara eh simplesmente fantastica.

  19. Douglas Ortiz
    2, dezembro, 2011 em 15:02 | #19

    Mas o VINI tem um defeito… Mas nao conta pra ninguem…. O defeito dele eh o time que ele torce…. Lamentavel!!!

  20. Elves Silva
    3, fevereiro, 2012 em 09:26 | #20

    Concordo com o Douglas o único defeito do brother é torcer para o…

    Mas fazer o que o Vini tinha que ter um defeito.
    Ja tivemos a oportunidade de trabalharmos juntos e o brother é realmente humilde e de grande conhecimento técnico.

    Abç.
    Parabens pela entrevista.

  21. Bruno Sales
    15, março, 2012 em 14:58 | #21

    Muito boa a entrevista, parabens aos 3.
    Vou seguir algumas dicas que foram extraídas desta entrevista.

    Infelizmente nao conheço nenhum de voces 3, mas isso é questão de tempo, estou querendo participar do GUOB e lá certamente encontrarei alguns de vocês.

    Parabens ao blog.

  1. Nenhum trackback ainda.